Como fazer a gestão financeira de uma empresa

Gestão-financeira-de-uma-empresa

Como fazer a gestão financeira de uma empresa

A gestão financeira de uma empresa é um sistema complexo demais para depender de simples planilhas do Excel, ou mesmo, daqueles velhos caderninhos que eram usados antigamente. Isso porque, a área financeira da empresa é, certamente, a mais importante do negócio, independente de seu tamanho. Afinal, é dos recursos financeiros que depende o funcionamento de todas as outras áreas da empresa.

Por isso sempre é importante frisar que a boa gestão financeira de uma empresa deve começar enquanto ela ainda é pequena, em seu início. O motivo é que com o crescimento do negócio, essas métricas ficam cada vez mais complexas de se lidar, causando grande confusão caso necessitem ser atualizadas ou refeitas em algum tempo posterior.

Antes de entrar a fundo nessas técnicas, vamos entender melhor o que é essa tal gestão financeira, que parece ser um conceito tão comum, mas tem particularidades que poucos conhecem.

O que é gestão financeira

A gestão financeira é todo o conjunto de práticas, técnicas e ações administrativas que se referem a analisar, planejar, executar e controlar as áreas financeiras de uma empresa, independente de seu tamanho. O objetivo é claro: manter o controle total das finanças do negócio para gerar o máximo de lucro possível.

Ou seja: tudo aquilo que a sua empresa faz para manter as suas finanças em dia, de maneira organizada e controlada faz parte da gestão financeira.

A boa gestão financeira de uma empresa garante que ela possa pagar seus fornecedores e contas com pontualidade, investir recursos em novas áreas e oportunidades de negócio, contratar novos funcionários e serviços, renovar periodicamente o estoque e o patrimônio material da empresa, e todas as outras coisas que o dinheiro pode fazer por um negócio.

Como fazer uma boa gestão financeira de uma empresa

Como dissemos no início do texto, existem algumas áreas principais que devem receber atenção especial quando queremos fazer a gestão financeira de uma empresa. Cada uma com suas especificidades, estas áreas devem ser  gerenciadas separadamente, para depois, por meio dos relatórios gerados por cada uma delas, elas serem integradas, de modo que se possa ter uma visão completa sobre o aspecto total da saúde financeira da empresa. Vamos a estas áreas:

Fluxo de caixa

O caixa da empresa representa a principal área de um negócio que visa lucro. Nada mais justo do que receber uma atenção especial, afinal o acompanhamento e o controle das finanças devem começar onde este controle é mais importante.

Uma empresa pode ter diversas áreas de entrada e saída de recursos financeiros e a gestão desse fluxo pode não ser fácil de fazer.

É por meio desse controle que o empresário vai ter conhecimento de quanto entra de dinheiro na empresa durante determinado período de tempo e quanto de dinheiro sai da empresa nesse mesmo período. Também é a partir disso que ele saberá da real saúde financeira da empresa, se há capital de giro para o que é necessário, se há o bastante para pagar fornecedores e funcionários, etc…

Vale avisar, que independente do tamanho da sua empresa, a forma mais segura e confiável de se fazer esse controle de fluxo de caixa é com a ajuda de um programa de gerenciamento financeiro, que vai fazer a maior parte do trabalho de forma automática e ainda vai gerar os relatórios pertinentes a todos estes controles.

Controle de estoque

Outra área de grande importância dentro de qualquer empresa. O estoque e o seu fluxo dizem muito sobre a sua empresa. É por meio do controle de estoque que o empresário pode saber que mercadorias têm mais saída, quais produtos devem ser repostos – nas prateleiras e no próprio estoque – e mesmo a precificação dos produtos que estão nas gôndolas podem ser definidos pela quantidade dessa mercadoria que ainda há no estoque.

Apesar disso, muitos não vêem o estoque como o que ele realmente é: um depósito de dinheiro parado. Afinal, você e seus sócios pagaram por aqueles produtos, não é? e esse dinheiro só vai voltar para a empresa em forma de lucro se estes produtos forem vendidos. Por isso, enquanto o estoque está encalhado ele nada mais é do que um montante de dinheiro parado.

Isso pode dizer muito sobre a saúde da sua empresa.

É aí que entra a análise e o controle do giro de estoque. Por meio deste controle, você saberá exatamente como andam as entradas e saídas de cada produto em seu estoque, e quais deles devem ser vendidos em promoção ou com desconto para evitar o risco de ficarem encalhados no estoque. A ideia é que você tenha um programa de gestão que faça essa análise de maneira automática, de forma que você esteja sempre ciente sobre a situação atualizada se seu sistema de estoque.

Gestão de clientes

Se a área financeira da sua empresa é a mais importante dela o que dizer dos clientes, que são as pessoas que trazem o dinheiro? Essa é a importância de seus compradores. Por isso, nada mais justo do que fazer uma boa gestão da área que cuida deles.

Todo consumidor que for encantado na sua experiência de compra tem a tendência a comprar de novo naquele lugar. É assim que começa o processo de fidelização do cliente.

Mas como fidelizar um cliente quando sabemos pouco sobre ele? Bom, o primeiro passo é conhecer o seu consumidor. Para isso é necessário que você solicite a ele todos os dados que puder, como endereço, e-mail, telefone, faixa etária, renda mensal, sexo, etc…

O próximo passo é analisar estes dados de maneira a ter um perfil padrão sobre ele: esta é a persona da sua empresa. Aquele cliente potencial e o que mais consome seus produtos. Já existem programas que automatizam este processo para você.

Com essa informação em mãos fica mais fácil direcionar as suas promoções e mesmo compras para um tipo de cliente específico – que tem mais chance de comprar da sua empresa – uma vez que você já tem uma noção mais clara de quem ele é.

Precificação

Parece óbvio que o preço do seu produto influi na sua margem de lucro. Mas poucos pensam nisso quando nos referimos à gestão financeira de uma empresa. É importante notar que muitas vezes o empresário, com o objetivo de atrair mais clientes, diminui o preço de seus produtos, ou mesmo de seus serviços oferecidos, baixando a sua margem de lucro.

Nem sempre esta estratégia é válida, uma vez que no somatório geral dos recursos vindos desses clientes, pode acontecer de as entradas de recursos não terem sido assim tão elevadas, mas ainda assim o serviço foi dobrado, ou triplicado. Vale lembrar que o foco de uma empresa é o lucro, e todo o planejamento, inclusive o de preços, deve ser focado pensando nisso. Por isso, existem técnicas de precificação que ajudam o empresário nesse processo.

 

Tributação

Muitos empresários, quando acabam de abrir a sua empresa, prestam pouca atenção aos tributos que devem ser pagos quando se tem um negócio. Isso pode ser extremamente perigoso, uma vez que as normas do governo em torno do pagamento de impostos são bastante rígidas.

E não é somente aos impostos que devem ser revertidos para o governo que o empresário deve prestar atenção. Há tributação em torno dos mais diversos tipos de serviços e produtos e a área fiscal da empresa deve estar atenta e sempre ter uma parcela de recursos destinada ao pagamento de tais tributos.

 

Como integrar a gestão financeira de uma empresa

 

Lembra que falamos sobre a importância de integrar todas as informações resultantes da gestão de cada uma das áreas do campo financeiro da empresa? Esse passo é importante para que você possa ter aquela visão geral sobre todos os aspectos que compõem o financeiro do seu negócio.

Como você deve ter percebido, essa tarefa é complexa demais para ser realizada manualmente. O número de dados é muito grande e o tempo de um empreendedor, mesmo que tenha funcionários, costuma ser curto.

Por isso, vale a pena investir em um sistema EPR, que vai fazer essa integração de maneira automatizada, gerando relatórios pertinentes a cada uma destas áreas gerenciadas de maneira individual ou integrada.

Além disso, um sistema de gestão vai garantir robustez e confiabilidade a esta gestão, uma vez que há pouco de intervenção humana nesse processo. É a partir desses relatórios que serão gerados pelo sistema que você poderá fazer o planejamento das estratégias que vão guiar a sua empresa pelos meses seguintes e será ainda mais fácil definir metas para os resultados, uma vez que agora elas terão uma base confiável.

Um bom programa de gestão é a garantia de que o empresário e seus funcionários vão parar de gastar tempo com tarefas administrativa e vão poder se dedicar àquilo que mais interessa para a empresa: seus clientes.

Este guest-post foi escrito pela equipe do QuantoSobra, um software de gestão empresarial completo, que organiza, agiliza e automatiza todos os processos internos da sua empresa.

 

3 Comments

Roberto

março 9, 2019 at 6:19 pm

Your web site has superb web content. I bookmarked the website

Reply

Senaida

março 10, 2019 at 5:59 am

Your web site has superb content. I bookmarked the site

Reply

Elisabeth

março 10, 2019 at 4:59 pm

I located your internet site from Google and also I need to state it was
a wonderful find. Thanks!

Reply

Post Your Comment Here

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *